Espécies

Aves

Mycotoxin Poultry

Todas as espécies de aves são afetadas por micotoxinas, então é vital que produtores comerciais avaliem e reduzam regularmente a ameaça a suas unidades de produção. As várias espécies de aves reagem de maneira diferente aos desafios de micotoxinas, mas os sinais clínicos da micotoxicose podem ser difíceis de detectar. O monitoramento cuidadoso, o reconhecimento de sintomas e o diagnóstico post-mortem - combinados a análises adequadas da ração - oferecem o meio mais preciso para um diagnóstico de micotoxicose em meio a grandes bandos de aves.

Desafios com a alimentação e excrementos

A alimentação é o vetor essencial para introduzir micotoxinas nos bandos, mas as aves também podem ser expostas a toxinas em seus excrementos. Os excrementos sobre palha podem estar contaminados com consideráveis concentrações de micotoxinas no momento da colheita, embora qualquer tipo de excremento possa estar contaminado se mantido em condições desfavoráveis de armazenamento.

Problemas das espécies: poedeiras

Galinhas poedeiras são suscetíveis a micotoxinas por vários motivos. O ciclo de produção mais longo (70 semanas ou mais) as torna candidatos ideais para micotoxicose crônica. Isso pode ser ainda mais influenciado pelo aumento no uso de subprodutos de ração nas dietas de poedeiras, que podem conter até três vezes mais micotoxinas do que os grãos.

Até uma intoxicação moderada de micotoxinas atingirá a camada de produção com perdas estimadas de 0,07 ovos/galinha/semana, a um custo de US$ 0,05 por semana.

Problemas das espécies: reprodutoras

As micotoxicoses são uma grande ameaça às unidades de reprodução comercial. Isso porque qualquer redução na fertilidade das aves ou na eclosão dos ovos é extremamente custosa. Até mesmo um pequeno aumento nas taxas de mortalidade de galinhas para inseminação pode reduzir o potencial de uma granja atingir as metas de produção de pintinhos. Além disso, baixos níveis de micotoxinas em ração contaminada já poderiam estar afetando os sistemas imunológico e reprodutivo, enquanto as taxas de crescimento podem não ser afetadas.

Problemas das espécies: frangos de corte

Melhorias genéticas interpretaram um papel principal para levar frangos e perus de corte mais rápido para a mesa, e com maior eficiência da ração. Infelizmente, tanto progresso tem seu preço, com as aves se tornando mais suscetíveis aos desafios apresentados por doenças metabólicas e infecciosas. A contaminação de ração ou material para cama por micotoxina pode suprimir o sistema imunológico. As micotoxinas também podem comprometer diretamente a força dos ossos, a ingestão de ração, o ganho de peso, a eficiência da ração e a qualidade da carne.

Estudos da Alltech com mais de 6.000 frangos de corte em 18 testes separados sugerem que até mesmo um desafio moderado de micotoxina poderia reduzir as taxas de crescimento em 2,5 g/dia, equivalente a uma perda média financeira de US$ 0,05 / ave / semana.

Problemas das espécies: patos

Patos são mais sensíveis a aflatoxinas de outras espécies de aves. Isso se deve à forma como eles processam a aflatoxina no fígado, que é diferente de outras espécies de aves devido a enzimas hepáticas variadas. Como resultado, a aflatoxina é biotransformada para a forma de epóxido menos tóxica a uma taxa diferente daquela de outras espécies de aves.

Com uma maior sensibilidade às aflatoxinas, os patos têm mais probabilidade de exibir lesões hepáticas e tumores hepáticos mesmo durante exposição aflatoxina crônica de nível inferior. Patos também podem ser impactados por outras micotoxinas que podem resultar em menor ingestão de ração, menores taxas de crescimento, eficiência alterada da ração, e maior susceptibilidade a doenças infecciosas.

A variedade de micotoxinas que afetam aves

Raramente, as micotoxinas ocorrem isoladamente. Devido ao fato de um bolor ser capaz de produzir várias micotoxinas, vários bolores podem contaminar um ingrediente da ração, e vários ingredientes compõem uma ração da ave. As aves geralmente precisam lidar com uma ameaça múltipla de micotoxinas, que podem causar efeitos adversos sinérgicos ou viciantes.

Sinais comuns de micotoxicoses em aves incluem:

Redução no consumo de ração
Baixas taxas de crescimento
Redução na produção de ovos
Redução na eficiência de conversão de ração
Aumento na susceptibilidade a doenças
Aumento na mortalidade
Baixa qualidade da casca de ovo
Redução na fertilidade
Problemas nas pernas
Perda da carcaça

Principais micotoxinas produzidas por bolores Aspergillus

Aflatoxina:

As aflatoxinas são mais preocupantes em regiões tropicais do mundo onde o clima é geralmente quente e úmido - menos preocupantes em países com temperaturas mais frias e mais temperadas. Tenha cuidado caso a ração seja importada de regiões tropicais.

Os patos são a espécie mais suscetível às Aflatoxinas, seguidos dos perus, frangos para corte, galinhas poedeiras e codornas. As aflatoxinas são particularmente tóxicas ao fígado das aves e causará danos aos tecidos e supressão da síntese de proteínas hepáticas, que leva à averiguação da taxa de crescimento e a redução na produção de ovos. As aflatoxinas também inibem a digestão de lipídios e pigmentos em aves reduzindo a produção de sais biliares.

As aflatoxinas também interferem no metabolismo da vitamina D, o que significa que a força nos ossos e nas pernas pode ficar comprometida. Elas também podem enfraquecer os capilares sanguíneos, o que pode aumentar a incidência de marcas na carcaça.

Ocratoxina:

As ocratoxinas são produzidas por diferentes fungos e são encontradas em regiões temperadas e tropicais, sendo a ocratoxina A a mais importante. A ocratoxina A causa danos nos rins em todas as espécies de aves, mas também pode causar gordura no fígado. A ocratoxina A é aproximadamente três vezes mais tóxica para pintinhos do que a aflatoxina.
 
Principais micotoxinas produzidas por bolores Fusarium

Fumonisina:

Frangos de corte e perus parecem ser relativamente resistentes aos efeitos agudos das fumonisinas. Entretanto, pesquisas mostraram que administrar ração contaminada com níveis de até 200 mg/kg de fumonisina B1 (FB1) causa discondroplasia tibial em filhotes de peru.

Tricotecenos:

As espécies de aves são mais sensíveis a Tricotecenos Tipo A do que Tipo B, mas a ocorrência do Tipo A na ração de aves é menor que a ocorrência do Tipo B. Os tricotecenos são irritantes porque podem causar lesões orais, dermatite e irritação intestinal. A principal resposta psicológica aos tricotecenos é a perda de apetite, rendendo-lhe o título de toxinas de "recusa de ração", mas elas também podem apresentar desafios para a Saúde Intestinal, aumentando a ocorrência de patógenos intestinais e doenças como enterite necrótica.

CONTAMINAÇÃO POR MÚLTIPLAS MICOTOXINAS DE RAÇÃO PARA AVES

Rações ou ingredientes contaminados normalmente contêm várias micotoxinas. As respostas tóxicas e os sinais clínicos em aves quando mais de uma micotoxina está presente na ração são complexas e diversas. E múltiplas contaminações surgem para causar maiores efeitos negativos à saúde e à produtividade do que a exposição a uma única micotoxina.

Por este motivo, sinais típicos de micotoxicoses são geralmente vistos em aves, apesar de as análises da ração indicarem apenas concentrações muito baixas ou iguais a zero de toxinas individuais. A toxicidade pode se dever a interações entre diferentes micotoxinas que exageram os sintomas de toxicidade.

Os sintomas podem ser muitos e variados, mas o resultado comum em todos os casos será a queda no desempenho e perda de lucro.

O controle eficiente das micotoxinas se trata de enxergar todo o desafio, desde a fazenda até a fábrica de ração, e desde a avaliação de riscos até o controle da ração. A Equipe de Gestão de Micotoxinas Alltech oferece uma variedade de soluções para ajudar você a reduzir a ameaça que você pode enfrentar com as micotoxinas de campo ou de armazenagem. Para saber mais, clique aqui.