Saiba Mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS

A Equipe de Controle de Micotoxinas Alltech elaborou um glossário dos termos mais utilizados quando o assunto é Micotoxinas, com o objetivo de ajudar a melhorar seu entendimento das questões acerca do assunto, além de lhe auxiliar com suas escolhas e para que todos entendam mais sobre a Alltech e serviços que oferecemos.

Se você não conseguir encontrar o termo que está procurando, favor utilizar a Ficha de Contato para que possamos analisar.

 

Acidose

Doença metabólica do gado observada quanto o pH ruminal fica abaixo de 5,5. O movimento ruminal é interrompido e o apetite e a produção geral da vaca são reduzidos. Geralmente, causada pela ingestão de grandes quantidades de carboidratos de rápida digestão, como a cevada. A acidose aguda pode causar morte, mais comum em gado de corte do que leiteiro.

Acidose Ruminal Sub-Aguda (SARA)

Um transtorno do rúmen, caracterizado por períodos de baixo pH ruminal abaixo de 5,5. É comum em vacas leiteiras de alta produção. Os sintomas incluem diarreia, redução na ruminação e grãos não digeridos nas fezes. Sinais secundários incluem laminite,  má condição do organismo como um todo. Um indício de SARA pode ser baixa gordura no leite. Causa redução na produção de leite e piora na saúde. Pode resultar em segregação do animal.

Adsorvente

Um adsorvente de micotoxina é um aditivo de ração capaz de se ligar a micotoxinas no trato digestivo de animais, evitando a absorção das micotoxinas para dentro do fluxo sanguíneo do animal. O adsorvente e as micotoxinas ligadas deixam o corpo do animal pelas fezes. Também chamado de ligante.

Aeróbico

Na presença de oxigênio.

Aflatoxina M1

O gado converte a aflatoxina B1 para aflatoxina M1, com a aflatoxina M1 (também um carcinogênico) passando para o leite para consumo humano.

Aflatoxinas

Micotoxinas produzidas por certos bolores Aspergillus, mais comumente Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus. As principais formas de aflatoxinas são a aflatoxina B1, aflatoxina B2, aflatoxina G1 e aflatoxina G2. A aflatoxina B1 é a mais comum e a mais tóxica em animais e humanos. É um carcinogênico, então entre todas as micotoxinas, é a mais regulada em rações animais e alimentos para humanos. O gado converte aflatoxina B1 para aflatoxina M1.

Agente Sequestrador

Aditivo adicionado às rações animais para minimizar os impactos toxicológicos de micotoxinas nos animais e reduzir a transferência de micotoxinas para a cadeia alimentar para consumo humano.

Aguda

Uma doença classificada como aguda tem um início repentino e é grave. Geralmente, ela dura pouco, mas pode durar muito tempo.

Alcaloides ergot

Micotoxinas formadas por espécies Neotyphodium, ergovalina e ergovalinina são as toxinas mais comuns. Outras incluem alcaloides do tipo ergina, erginina e clavina, como a argoclavina. Essas texinas são encontradas em fescuta infectada com espécies Neotyphodium. Entretanto, essas toxinas são menos tóxicas aos animais. Espécies Neotyphodium também são capazes de produzir Iolitrem B, que causa problemas nos animais quando ingeridas (ver "doença do azevém").

Anaeróbico

Na ausência de oxigênio.

Análise 37+

Teste de laboratório, parte do Programa de Controle de Micotoxina Alltech, utilizado para detectar micotoxinas em rações animais. Utiliza o método LC-MS/MS para detectar 38 micotoxinas em baixos níveis em várias rações.

Aspergillus sp.

Fungo tipicamente de armazenagem encontrado em países mais quentes. Entretanto, com as mudanças climáticas países como o Reino Unido estão observando um aumento na contaminação das lavouras pela espécie Aspergillus . Espécies comuns de Aspergillus incluem Aspergillus clavatus, Aspergillus flavus, Aspergillus fumigatus, Aspergillus ochraceus e Aspergillus parasiticus, todos capazes de produzir diferentes micotoxinas quando estressados.

Bolor

Tipo de fungo que cresce com a produção de hifas, filamentos multicelulares. Muito maiores do que as leveduras.

Bursa

Órgão linfoide e epitelial encontrado somente em aves.

Carcinogênico

Substância capaz de causar câncer.

Cereais
Cereais, Lavoura

Gramas, tais como milho ou trigo, que possuem grãos com amido. Colhidos para uso como alimentação humana e animal. (Também chamada de lavoura de grãos).

Citrinina

Uma micotoxina produzida mais comumente pelo Penicillium citrinum, mas também por algumas espécies e Aspergillus. É uma neurotoxina. Também causa aumento no consumo de água, diarreia, perda de peso, inchaço dos rins nas aves e manchas no fígado. Mais comumente encontrada no milho, trigo e cevada.

Crônica

A doença classificada como crônica é persistente / possui efeitos duradouros.

De corte

Ave jovem utilizada como carne para consumo humano.

Deoxinivalenol (DON)

Micotoxina classificada como tricoteceno tipo B produzida por certos bolores Fusarium. Causa vômito e recusa de ração em suínos, é tolerada até certa medida no gado (caso micotoxinas de silagem estiverem ausentes) e causa redução na ingestão de ração e imunidade em aves. Pode ser encontrada em uma variedade de lavouras, incluindo trigo, milho e cevada.

Depósito de silagem a céu aberto

Área emparedada utilizada para armazenar silagem. Feita de uma parede posterior e duas paredes laterais, sem parede frontal para permitir a remoção da silagem. O depósito é enchido depositando a silagem e passando por cima dela com tratores, muitas vezes para compactá-la e evitar a penetração de oxigênio. Permite-se que a silagem fermente, e ela é removida gradualmente. Depósitos de silagem variam em altura, largura e profundidade.

Desarranjo

Diarreia. Problema comum em bezerros. Causado por uma variedade de fatores. Pode ser infeccioso ou não infeccioso. Causa problemas financeiros para os criadores.

Desmamado

Animal que foi tirado da mãe. Suínos que foram desmamados e estão abaixo dos 30 kg são a espécie mais comum referida como desmamados.

Diacetoxiscirpenol (DAS)

Micotoxina classificada como tricoteceno tipo A produzida por certos bolores Fusarium. O DAS é amplamente degradado pelo gado com rúmen em bom funcionamento, mas é tóxico para aves, causando lesões no trato digestivo superior. Pode ser encontrado em uma variedade de lavouras.

Doença do azevém

Doença que afeta o sistema nervoso de animais que ingeriram azevém perene contendo altos níveis de lolitrem B. Os sintomas incluem ataxia, falta de coordenação, queda e agitação da cabeça. Esses efeitos são temporários, mas a falta de coordenação pode causar afogamento e choques com cercas, etc. Mais comum quando os pastos são consumidos excessivamente.

Eclosão

Porcentagem de ovos fertilizados que eclodem. A meta está acima de 85%.

Endófito

Bactéria ou fungo que vive dentro de plantas infectadas.

Ergotismo

Doença de animais e humanos causada pela ingestão de centeio ou grãos de cereais contaminados com Claviceps purpurea, que produz alcaloides ergot. O gado é a espécie que mais corre risco. Os sintomas incluem ataxia, hipersensibilidade, convulsões, gangrena, perda de peso, agalaxia, manqueira e aborto.

Ergovalina

Toxina que causa "pé-de-fescuta" no gado devido a suas propriedades vasoconstritoras. Produzida por vários endófitos.

Esporo(s)

Partículas microscópicas produzidas por fungos para permitir que se reproduzam assexuadamente. Diferentes esporos possuem diferentes propriedades. Entretanto, eles são adaptados para dispersão. Micotoxinas são produzidas quando o bolor está estressado para proteger os esporos.

Estresse oxidante

A presença de oxigênio nas células que causa sua deficiência.

Fermentação

A quebra química de uma substância, por exemplo, silagem, por microrganismos como bactéria, levedura e fungos na ausência de oxigênio. Vários açúcares são quebrados pelo processo de fermentação para uma variedade de produtos finais, geralmente ácidos, gases e álcoois. A reação também produz calor.

Forrageira

Plantas, fora grãos, cultivadas para alimentar animais.

Forragem

Rações administradas a animais, geralmente feno, palha, silagem ou concentrados.

Fumonisinas

Micotoxinas classificadas como micotoxinas sem tricoteceno, produzidas pelos bolores Fusarium. Fumonisinas comuns incluem a fumonisina B1, a fumonisina B2 e a fumonisina B3, sendo que a fumonisina B1 é a mais comum. Uma ampla variedade de lavouras pode ser contaminada com fumonisinas, incluindo milho, cevada e trigo.

Fungos de armazenagem

Fungos que invadem rações animais durante o período de armazenagem (pós-colheita). Eles geralmente precisam de menos umidade do que os fungos do campo e não apresentam um grande problema antes da colheita. As espécies Aspergillus e Penicillium são classificadas como fungos de armazenagem.

Fungos do campo

Fungos que invadem a lavoura enquanto ela ainda está no campo (pré-colheita). Esses fungos incluem as espécies Fusarium e algumas espécies Aspergillus. Eles geralmente exigem níveis de umidade superiores aos níveis de armazenamento.

Fusarium sp.

Bolores encontrados mais comumente em lavouras no campo (pré-colheita). Os bolores Fusarium produzem uma variedade de diferentes micotoxinas quando estressados e são capazes de contaminar uma variedade de diferentes lavouras.

Gliotoxina

Micotoxina produzida por bolores como Aspergillus fumigatus. Causa morte da célula e é um forte imunossupressor quando ingerido por animais. Se um animal for exposto à micotoxina por um longo período de tempo, sua toxicidade será acelerada. A ocorrência de gado com mastite que não responde a tratamento pode ser causada por ingestão de glicotoxina.

HT-2
HT-2, toxina

Uma micotoxina, classificada como tricoteceno tipo A, produzida por vários bolores Fusarium e que pode ser encontrada em uma ampla variedade de lavouras.

Hifas

Filamentos longos produzidos por bolores. As hifas são necessárias para o crescimento, a sobrevivência e a dispersão de bolores. Eles permitem que o bolor cresça de células únicas para corpos ramificados de hifas (micélio).

Imunossupressor

Substância que enfraquece ou inibe o sistema imunológico do corpo, permitindo que os patógenos se desenvolvam, potencialmente causando infecção.

Jarrete

Articulação pronunciada na perna traseira de bovinos e equinos encontrada entre o joelho e o boleto. O jarrete aponta ligeiramente para trás.

Laminite

Inflamação das lâminas do casco, impactando a mobilidade do animal. Comum em equinos e bovinos. Comumente causada por ingestão de grama rica em cavalos, e pode ser causada por uma variedade de diferentes fatores no gado. A redução de mobilidade no gado causa redução na ingestão de ração e, consequentemente, redução no peso corporal e na produção.

Legume

Tipo de planta comumente cultivada como lavoura, que produz suas sementes em vagens. Pode ser utilizada para forrageira ou silagem de animais. Os legumes mais comuns utilizados na agricultura incluem alfafa, ervilhas e soja.

Lesão

Alteração ou anormalidade do tecido de um organismo vivo, mais comumente causada por trauma ou doença.

Levedura

Fungos unicelulares microscópicos que se reproduzem assexuadamente pelo processo de brotamento.

Lolitrem B

Toxina produzida pelo Neotyphodium lolii, um fungo endofítico. Causa a doença do azevém.

Lúmen intestinal

Parte tubular do trato digestivo que guarda os conteúdos parcialmente digestivos e onde ocorre a quebra.

Manqueira

Condição observada comumente em vacas leiteiras de alta produção nas quais a mobilidade é afetada. Existe uma variedade de causas diferentes que se encaixam nas categorias agentes infecciosos e não-infecciosos. A manqueira causa redução de ingestão de ração, redução de peso e produção, como a de leite.

Mastite

Inflamação da glândula mamária da teta. Pode ser causada por vários fatores, como dano físico ou infecção devida a vários patógenos, contagiosos ou ambientais.

Micotoxicose

Reação tóxica no organismo de animais / humanos que ingeriram micotoxinas.

Micotoxina

Substância tóxica com baixo peso molecular, produzida por certos bolores. As micotoxinas são metabólitos secundários, então são somente produzidas quando o bolor está estressado a fim de proteger os esporos. Condições definidas como "estressantes" variam de acordo com a espécie do bolor, mas geralmente incluem níveis maiores de umidade e calor. As micotoxinas afetam a saúde de animais e humanos. Mais de 500 micotoxinas foram descobertas até hoje. Cada micotoxina afeta o animal/humano de determinada maneira, com algumas toxinas sendo carcinogênicas, neurotóxicas e imunossupressoras.

Micotoxinas de silagem

Mais comumente, bolores Penicillium e alguns bolores Aspergillus sobrevivem na silagem e produzem micotoxinas. Bolores Fusarium geralmente morrem no processo de silagem. Muitas micotoxinas de silagem possuem efeitos antimicrobianos sobre os micróbios encontrados no rúmen. Essas micotoxinas afetam negativamente o processo de fermentação, causando vários efeitos, como a redução na produção de leite. As micotoxinas de silagem também podem ser neurotóxicas e tremorgênicas. Exemplos incluem o ácido penicílico, a toxina PR e o ácido micofenólico.

Micélio

Uma rede de hifas. O micélio cimenta e une os grãos de milho, resultando em grãos que não podem ser separados.

Milho

Conhecido como "maize" no Reino Unido. (Ver "maize")

Milho (Maize)

Conhecido como "corn" no Reino Unido. O milho pode ser cultivado como lavoura de grãos ou lavoura total para silagem. Climas mais quentes são tipicamente mais adequados para a lavoura de grãos, permitindo que ela amadureça. Os EUA e a China produzem grandes quantidades de milho.

Moela

Órgão muscular encontrado no trato digestivo de aves utilizado para moer ração com o grão ingerido a fim de auxiliar a digestão.

Moniliformina

Micotoxina produzida por vários bolores Fusarium, incluindo Fusarium proliferatum. É extremamente tóxica para pintinhos e outras espécies de aves, causando lesão cardíaca. Baixos níveis de moniliformina reduzirão as taxas de crescimento, aumentarão o tamanho do coração, reduzirão a imunidade e causarão lesões cardíacas.

Mycosorb A+

Um adsorvente de micotoxina baseado em parede celular de levedura e alga da Alltech que é adicionado às rações animais para reduzir significativamente os efeitos das micotoxinas nos animais. Pode ser utilizado em todas as espécies, mas mais comumente em gado, suínos e aves.

Nefrotoxina

Substância que causa danos aos rins.

Neotyphodium lolii

Um fungo endofítico que produz lolitrem B, causando doença do azevém se ingerido por animais.

Neurotoxina

Substância que causa danos no sistema nervoso ou no tecido nervoso.

Nivalenol (NIV)

Micotoxina classificada como tricoteceno tipo B produzida por vários bolores Fusarium. Um imunossupressor.

Novilha

Vaca fêmea jovem que ainda não pariu um bezerro.

Ocratoxina A

Micotoxina classificada como fenilanina-di-hidroisocoumarina produzida por vários bolores Penicillium (produzem OTA em países temperados) e bolores Aspergillus (produzem OTA em países tropicais), principalmente Penicillium verrucosum e Aspergillus ochraceus. Se não houver presença de micotoxinas de silagem, o rúmen consegue quebrar o OTA de forma que tenha menos efeito em ruminantes do que em monogástricos. Em suínos e nas aves, a ocratoxina A causa nefropatias, redução no ganho de peso, na ingestão de ração e na eficiência da ração.

PACPC

PACPC é parte do programa da Equipe de Controle de Micotoxinas da Alltech. Com base em princípios HACCP (Pontos de Controle Crítico de Análise de Risco), ele identifica os riscos da micotoxina dentro de uma fazenda ou fábrica de ração e cria um plano para minimizar os riscos para o animal e, consequentemente, para os consumidores.

PR
PR, Toxina

Micotoxina produzida por certos bolores Penicillium e encontrada em silagem.

Para abate / finalizador

Leitão em engorda para abate.

Patulina

Micotoxina produzida por bolores Penicillium, incluindo roquefortina Penicillium. É uma neurotoxina e causa falta de coordenação e fraqueza muscular em animais que a ingeriram. A patulina reduz a produção de ácidos graxos voláteis em ruminantes, reduzindo a quantidade de energia que uma vaca é capaz de obter de sua dieta. A patulina é comumente encontrada em silagem, então ela é classificada como micotoxina de silagem.

Patógeno

Microrganismo capaz de causar doenças.

Penicillium sp.

Fungo tipicamente de armazenagem encontrado em uma ampla variedade de lavouras e silagem. Capaz de produzir uma ampla variedade de micotoxinas.

Poedeiras

Aves criadas para produzir grandes números de ovos utilizados para consumo humano.

Porca

Suíno fêmea adulta utilizada para reprodução.

Proporção de Conversão de Ração (FCR)

Medição da eficiência de um animal para converter ração em aumento de massa corporal.

Protozoários

Organismos unicelulares e microscópicos que vivem no rúmen do gado, se alimentando dos nutrientes ingeridos pelo gado e quebrando as rações, beneficiando a vaca.

Pré-mistura

Ração administrada a animais que contém vários materiais baseados em plantas, aditivos e nutrientes essenciais. Pode ser adicionada a grãos ou forrageiras. Comprada de empresas que realizam a pré-mistura. Geralmente em grânulos.

Ração Misturada Total (TMR)

Uma ração completa, administrada aos animais, contendo diferentes rações utilizadas para atingir seus requisitos nutricionais. Um TMR para gado pode conter uma mistura de silagem, concentrados e outros ingredientes dependendo do que o criador ou o nutricionista decidir que é o mais adequado. Ao coletar amostras para análise de contaminação por micotoxina, o TMR deve ser utilizado para dar uma amostra representativa de toda a dieta administrada ao animal.

Reprodutora

Ave fêmea madura que produz ovos férteis para reprodução.

Ruminante

Animal com casco e rúmen. O processo de digestão de um ruminante envolve a ingestão de matéria vegetal, regurgitando o material semi-digerido (regurgitação), segunda mastigação, engolindo novamente esse material e fermentando-o no rúmen. Ovelhas, vacas, cabras e búfalos são ruminantes (ver rúmen).

Rúmen

Os primeiros 4 estômagos do gado. O rúmen contém vários micróbios que quebram as rações baseadas em plantas e transformam em ácidos graxos voláteis para dar energia.

Silagem

Forragem que foi colhida, compactada e armazenada em condições a vácuo em um silo ou depósito a céu aberto. Ela passa por um processo de fermentação, e são produzidos ácido lático, ácido acético e ácido propiônico. A silagem é comumente administrada ao gado.  Silagens de milho e grama são as mais comuns no Reino Unido.

Silo de pila

Utilizado para armazenar grãos. Geralmente, uma torre alta ou um poço.

Sinergia

A interação de duas ou mais substâncias, por exemplo, micotoxinas, que produzem mais efeitos negativos para a saúde do que a soma dos efeitos separados de substâncias individuais.

Subaguda

Uma doença classificada como subaguda se encaixa entre aguda e crônica. Ela pode ter tido um início razoavelmente recente, e foram observadas mudanças razoavelmente rápidas no animal.

Toxicose por fescuta

Reação tóxica no corpo de animais que ingeriram fescuta alta infectada com endófitos que produzem a toxina ergovalina. A fescuta alta é uma principal grama forrageira encontrada nos Estados Unidos nos estados centrais e do sudeste. No gado, os sinais de toxicose por fescuta incluem baixos índices de concepção, baixa produção de leite, redução no ganho de peso, hipertermia no verão.

Toxina T-2

Micotoxina classificada como tricoteceno tipo A produzida por vários bolores Fusarium. Causa recusa de ração e lesões gastrointestinais no gado e erosões na moela e lesões no trato digestivo superior de aves, causando redução da produtividade em muitas espécies.

Tricotecenos

Maior família de micotoxinas produzidas pela espécie Fusarium, dividida em 4 subgrupos, com dois grupos principais, sendo os tricotecenos do tipo A e do tipo B. Os tricotecenos do tipo A incluem a toxina T-2, a toxina H-2 e o Diacetoxiscirpenol (DAS). Os tricotecenos do tipo A incluem o deoxinivalenol (DON) e o nivalenol.

Trigo

Um grão de cereal, mas também pode ser colhido como palha para o gado. O trigo é cultivado para a indústria de alimentos humanos e para rações animais. Ele compõe uma grande porção das dietas de suínos e aves. Pode ser contaminado com uma variedade de fungos que são capazes de produzir muitas micotoxinas se condições estressantes estiverem presentes.

Trigo de Inverno

Trigo plantado no outono e colhido no verão seguinte. Em países com essa prática, as produções de trigo de inverno são geralmente mais altas que as produções de trigo de primavera.

Trigo de Primavera

Trigo plantado na primavera e colhido no verão seguinte.

Zearalenona

Micotoxina produzida por vários bolores Fusarium, incluindo Fusarium proliferatum. Ela se liga aos receptores de estrogênio, causando redução na reprodutividade de todas as espécies, tanto de machos quanto de fêmeas.

sp.

Espécies

Ácido fusárico

Micotoxina sem tricoteceno produzida por bolores Fusarium. Altera a química do cérebro em suínos e age sinergicamente com DON.

Ácido micofenólico

Micotoxina produzida por vários bolores Penicillium e encontrada em silagem. Um imunossupressor.

Ácido penicílico

Micotoxina produzida por bolores Penicillium, como a roquefortina Penicillium. Comumente encontrada em silagem, então ela é classificada como micotoxina de silagem.

α-zearalenol

Substância formada quando a zearalenona é quebrada no trato digestivo de animais. Mais potente do que a zearalenona.

β-zearalenol

A Zearalenona é convertida para β-zearalenol no trato digestivo de animais (o α-zearalenol também se forma a partir da zearalenona). A zearalenona produz menos β-zearalenol do que α-zearalenol.  O β-zearalenol possui uma afinidade mais baixa para receptores de estrogênios do que a zearalenona, mas é tóxico para as células endometriais.